domingo, 23 de dezembro de 2012

Recomeços


 
Em minha aventura de tentar outra vez
Dos meus erros eu sou o maior freguês
Mas eu sigo este meu caminho feliz
Por saber que sou só um pequeno aprendiz

E assim eu vou dando um passo na frente do outro
Levando o sorriso e esquecendo o desgosto
Porque que eu sei; que é pouco a pouco
Que a lucidez se descobre no coração de um louco

E quando chegar a hora da partida
Quero levar o aprendizado e deixar a ferida
E ter a certeza de que por muitas vezes eu falhei
Mas que nesta minha vida, eu sempre de novo tentei...

Saulo Prado

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Rabiscos

Não há sentido nestas palavras que escrevo
São linhas ditadas a esmo
Amor, dor, ilusão e desilusão
Venenos dosados em meu coração

Não há sentido nestas lagrimas
Os meus olhos molham as velhas paginas
Do livro que juntos tentamos escrever
Mas que nas linhas tortas, conseguimos nos perder

Não há sentido em tanta saudade
Não sei se é orgulho ou vaidade
Mas eu não aceito este seu amor que acabou
Minha vida sem você; é um livro que não terminou... 
 
 
Por/Saulo Prado

domingo, 9 de dezembro de 2012

ente



No silêncio da minha mente
A minha triste alma sente
O perigo de ser dependente
De uma linda mulher que mente...


Saulo Prado

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Acabou



Eu passei dez anos de minha vida tentando te decifrar
E o máximo que conseguir foi te amar
No inicio era eu que não te amava
E você por meu amor suplicava

Mas este seu jeito forte de ser

Foi me dominando, e eu fui me entregando a você
Eu tentava esconder estes meus sentimentos

Mas meus olhos os te revelavam a todo o momento

E como se não pudéssemos ter um amor recíproco
Com o tempo você passou a me achar esquisito
E assim, quando percebi já não tinha mais você
E por isso fui condenado por toda eternidade, em querer te ter...

sábado, 17 de novembro de 2012

Sábado triste


Hoje chorei por amor
Esvaziei do meu peito um pouco da dor
Ouvi as nossas velhas canções
E um rio de lagrimas transbordou de emoções

Hoje assumi toda a minha saudade

Gritei a minha falta de felicidade
E mais uma vez odiei te amar

Mas mesmo chorando, escutei meu coração te chamar

Hoje eu vou sair para beber

Não sei se é para te lembrar, ou para te esquecer
Só sei que nesta noite de sábado eu quero viver
Quem sabe eu encontre uma mulher,
que me de mais que prazer...



segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Duas



Completam-se

Eu sei que meus olhos contam a você

Não existe parte em meu corpo que consegue esconder
Este amor sai por todos os meus poros
E é com esta paixão que eu te devoro

Eu sei que você também gosta de mim

É um sentimento tão grande que não tem fim
E assim eu e você nos completamos

Dividindo esta nossa vida, nós nos amamos

Eu sei que já te fiz varias poesias

É que você preenche todas as minhas fantasias
E não importa, o tanto que eu tenha que declarar este amor
Já que em meu jardim você é, a mais perfumada e linda flor...


Saulo Prado
 Mudando

Não vejo as mentiras que me conta

Em nome do amor eu vivo este faz de conta
Submisso a esta louca ilusão
Seus beijos envenenam aos poucos o meu coração

Louco por este desejo fugaz

Eu me aprisiono neste seu insólito cais
E como um velho navio que não volta ao mar

Estou encalhado neste vicio de te amar

Mas na noite existe uma esperança

Uma mulher de olhos com brilho de criança
Devagar ela esta invadindo a minha vida
E desenhando o dia de nossa inesperada despedida...


Saulo Prado

domingo, 4 de novembro de 2012

Dialogo de um só





Em um dialogo comigo mesmo
Uso todo o meu silêncio para gritar
Angustias, paixões, desejos
Sentimentos que um homem não consegue guardar

Ouço o som de uma gota que insiste em cair
Mesmo a torneira estando fechada, ela quer ressurgir
Assim é meu coração,
Ele não quer se aprisionar nesta solidão

E como se fosse a gota, caindo no vazio da pia
Meu coração se joga; nesta minha insólita poesia
E assim eu amenizo um pouco da dor
Deste meu peito que necessita de um novo amor...

 
Saulo Prado

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Minha mascara


Tantas mentiras que nos conduziram a esta verdade
A vida passa ao ritmo de quem busca por felicidade
Um sorriso que se perdeu, aquela lagrima que já se esqueceu
Tudo roda, em uma rotação constante
O que era amor; um dia vira somente amante
O que não pode. É se perder neste confuso caminho
Onde para chegar às rosas, é necessário escalar os espinhos
Mas tudo bem, ninguém sabe a rece
ita do bem e do mal

Vivemos a mercê desta nossa eterna fantasia de carnaval...

sábado, 27 de outubro de 2012

Versos da saudade

No escuro desta noite
sem seu colo a solidão é açoite
junto do sono que não chega
a felicidade foi só passageira

Sinto falta do seu corpo
inundando a minha cama
esta é a saudade,
de um homem quando ama

Quero dormir, mas não consigo
a tristeza é meu abrigo
e assim mais uma vez, choro por ti
o grande amor da minha vida,
que um dia deixei parti....

  Saulo Prado

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Separação





Caminhos indistintos aos meus
Sonhos que nunca foram seus
Beijos calados de sentimentos
Apenas retratos, retratam os bons momentos

Uma vida a dois que não existe mais
A esperança perdida em um só cais
Filhos que ditam esta relação
Um casal divido pela solidão

E assim  se precipita o fim
Do que um dia foi eterno pra mim
Mas por mais que hoje o que grita é a dor
Eu ainda ouço os sussurros do nosso amor...

Displicência



Uma poesia perdida
Na estrada louca da vida
Um amor que não entendo
Que se faz de tão pequeno

Sentimentos que machucam
Em altos relevos de palavras
Coisas que muitas vezes foram ditas
Pela falta de não dizer nada

Um sonho que quase acabou
Pela displicência do amor
Mais uma vez tenho que pedir desculpa
Por uma coisa que nunca tive culpa...


Saulo Prado

sábado, 13 de outubro de 2012

Sozinho no cais




Outra vez dou um beijo de língua na solidão
Voltou a bater sozinho este meu coração
Mais uma vez você saiu da minha vida
Até parece que me acostumei com sua despedida

Outra vez irei namorar a saudade
De um tempo distante que vivemos felicidade
Esta provado que entre nós não da mais
Por isso desta vez não te esperarei de volta ao cais

Outra vez eu vou desejar que você seja feliz
Só que agora irei à busca de outro bem que se quis
Não posso mais viver preso neste amor
Que se transformou em um jardim de onde só se colhe dor...

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Sem sentido ainda há sentido




Sozinho caminho este meu destino
Vou triste com um sorriso cinza de menino
Calado; digo tudo com um só olhar
Eu persisto neste meu vicio de sonhar

Agarro-me em uma pequena esperança
Aquela minha profecia de quando ainda era criança
“Tudo que eu quiser eu vou tentar melhor do que já fiz”
E assim eu vou seguindo este meu trajeto de aprendiz

Não sei até quando ainda vou acreditar
Mas a esperança é tudo que não me deixa parar
Mas mesmo que em mim, só exista resquício da tristeza
É caminhando que amasso o barro de minha utópica fortaleza...

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Medo de viver


Em nosso jeito desconexo de ser
Aprendemos a nos esconder
Esconder da vida que nos faz feliz
E optamos pela vida que deixa cicatriz

E assim vivemos esta nossa eterna busca
Presos a uma insignificante conduta
Porque é mais fácil seguirmos o dito normal
Do que aceitar a nossa loucura surreal

E como se fossemos marionetes
Aceitamos calados estes nossos esquetes
Sobrevivendo de nossas falta de vida
Esperamos a morte como se fosse à partida...


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik