domingo, 4 de novembro de 2012

Dialogo de um só





Em um dialogo comigo mesmo
Uso todo o meu silêncio para gritar
Angustias, paixões, desejos
Sentimentos que um homem não consegue guardar

Ouço o som de uma gota que insiste em cair
Mesmo a torneira estando fechada, ela quer ressurgir
Assim é meu coração,
Ele não quer se aprisionar nesta solidão

E como se fosse a gota, caindo no vazio da pia
Meu coração se joga; nesta minha insólita poesia
E assim eu amenizo um pouco da dor
Deste meu peito que necessita de um novo amor...

 
Saulo Prado

Um comentário:

Rose Rocha disse...

é na poesia que o coração se liberta...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik