quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Estou plantando

Meu silêncio diz tanto de mim
É um grito com um eco sem fim
Sou a triste poesia da solidão
Um quebra cabeça chamado coração

Minha vida são as rosas que plantei
Os espinhos todos eles eu já chorei
E eu continuo cultivando meu jardim
 

Esperando alguém que se aconchegue em mim

A ela não tenho muito o que oferecer
Somente a paixão que com ela quero viver
Mas enquanto a minha espera não termina
As minhas lagrimas vão regando o amor; que não germina...

Saulo Prado

2 comentários:

Rose Rocha disse...

Belas poesias. com muito sentimento.
Linda semana pra ti. Rose

Pedra do Sertão disse...

Lirismo e subjetivismo...gostei!

Abraço do Pedra

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails