quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Talvez um dia eu diga não


Se você realmente quer me escutar
Ouça o que o meu silêncio tem para te falar
Quem sabe assim no barulho desta solidão
Você consiga entender a dimensão desta paixão

Quantas vezes eu te gritei meu amor
E você se fez de surda para minha dor
Agora vem me dizer, que quer me entender
Se nem eu entendo porque não consigo te esquecer

Você me usa como se eu fosse o seu brinquedo
Joga na minha cara, os seus promíscuos segredos
E depois adoça minha boca com a sua maçã
Hoje eu digo sim, mas pode ser não amanhã...

Saulo Prado

4 comentários:

Sandra Botelho disse...

Ninguem tem o direito de brincar com os sentimentos alheios.
Lindo poema.Bjos achocolatados

Silenciosamente ouvindo... disse...

Um gosto vir aqui e encontrar
poesia.Criei um blogo para inserir
poesia,com os devidos créditos,de
poetas que me cedam. Gostaria de
ter um poema seu, basta deixar
um comentário.Teria muito gosto.
Bj./Irene

SAULO PRADO disse...

Doce amiga Irene fique a vontade para escolher as poesias ficarei envaidecido em ter um de meus delírios em seu Blog...

Maria Amelia disse...

oi meu querido poeta toda vez que leio seus poemas me sinto em sintonia amo seus poemas bjos fofo.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik