domingo, 7 de junho de 2009

Erro de calculo


Um dia eu disse a você
Que o céu era o limite
E que para nós dois
Só existia o numero dois
Meu calculo falhou
E o sonho acabou

Somos agora impar
Embora o desejo ainda seja par
Mas o amor
É uma matemática não exata
Aonde dois pode ser um
Quando a paixão não se divide

Agora não sei o que dizer
Com os olhos cheios d’água
Deixo o tempo falar por nós
Embora o instante seja meu unico algoz...

Saulo Prado

5 comentários:

Sandra Botelho disse...

É... se o amor fosse uma equação matemática ,certamente não seria uma ciencia exata...
Adorei o poema. Bjos no coração!

Olavo disse...

Agradeço pelas palavras deixadas no blog..
Abraços

Retalhos de Amor disse...

"uma matemática não exata"
Assim o amor
Nem sempre n'um só tom
Regente maior
De nossas vidas
Não nos põe nas mãos
A pauta de sua canção!!!

Poema que me tocou sobremaneira...
Pela essência contida!!!

Beijo, meu Amigo...
No coração!!!
Iza

cris disse...

"Deixo o tempo falar por nós
Embora o instante seja meu unico algoz..."

Por mais juras que façamos, e por mais que tenhamos sonhos, só mesmo o tempo pode nos dizer o que acontecerá.......
Nem sempre temos o que queremos, né?
Mais dentro de nós temos que fazer com que nossos sonhos sejam reais, para termos a certeza de continuar amando...

Belas palavras poeta!
bjs##

Cris.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Meu poeta!

Em amor o ímpar só é aceito para definir o próprio amor.

Se é para definir a relação tem que ser em par...

Sempre maravilhosos os seus poemas!!

Beijos!!!Sonia Regina.

P.S.Não tenho conseguido acessar o seu blog ,a internet diz que não pode exibir a página,daí o motivo de não ter comentado nos últimos dias.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails