domingo, 7 de junho de 2009

Erro de calculo


Um dia eu disse a você
Que o céu era o limite
E que para nós dois
Só existia o numero dois
Meu calculo falhou
E o sonho acabou

Somos agora impar
Embora o desejo ainda seja par
Mas o amor
É uma matemática não exata
Aonde dois pode ser um
Quando a paixão não se divide

Agora não sei o que dizer
Com os olhos cheios d’água
Deixo o tempo falar por nós
Embora o instante seja meu unico algoz...

Saulo Prado

5 comentários:

Sandra Botelho disse...

É... se o amor fosse uma equação matemática ,certamente não seria uma ciencia exata...
Adorei o poema. Bjos no coração!

Olavo disse...

Agradeço pelas palavras deixadas no blog..
Abraços

Retalhos de Amor disse...

"uma matemática não exata"
Assim o amor
Nem sempre n'um só tom
Regente maior
De nossas vidas
Não nos põe nas mãos
A pauta de sua canção!!!

Poema que me tocou sobremaneira...
Pela essência contida!!!

Beijo, meu Amigo...
No coração!!!
Iza

cris disse...

"Deixo o tempo falar por nós
Embora o instante seja meu unico algoz..."

Por mais juras que façamos, e por mais que tenhamos sonhos, só mesmo o tempo pode nos dizer o que acontecerá.......
Nem sempre temos o que queremos, né?
Mais dentro de nós temos que fazer com que nossos sonhos sejam reais, para termos a certeza de continuar amando...

Belas palavras poeta!
bjs##

Cris.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Meu poeta!

Em amor o ímpar só é aceito para definir o próprio amor.

Se é para definir a relação tem que ser em par...

Sempre maravilhosos os seus poemas!!

Beijos!!!Sonia Regina.

P.S.Não tenho conseguido acessar o seu blog ,a internet diz que não pode exibir a página,daí o motivo de não ter comentado nos últimos dias.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik