segunda-feira, 25 de maio de 2009

Aparências

Nego os meus sentimentos

E alimento a solidão

Prendendo-me a um casamento

Só para causar boa impressão


Sou vitima da sociedade

Com sua falsa moral

Aonde manter a aparência

É mais forte que ser real


Também tenho minha parcela de culpa

Nesta situação; por aceitar a infelicidade

Em nome dos dogmas da religião...




15 comentários:

Phoenix disse...

Nessas horas sou meio porra louca. Mando a sociedade e tanta hipocrisia para o senhor raio que o parta.

Abraços, amigo.

Ariane disse...

Adoreiii esse texto, demaiis.

Deixei três presentinhos para vc em meu blog, pega láa

Beijoos'

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Meu poeta!

Perfeito!A gente joga nossa vida e sentimentos ao léu em nome de valores que não tem nenhum valor e quando percebe isto o tempo,que não para,já se foi!!!

Um beijo com carinho!Sonia Regina.

Bella disse...

Até onde (ou até quando) vale a pena abrir mão da felicidade para satisfazer os padrões impostos pela sociedade?
Esse é um erro que não repetirei jamais.
Gostei do texto...discordo da atitude.

Beijo e obrigada pela visita ao meu blog :)

Fabricante de Sonhos disse...

Muito bom senhor poeta!
E olha... Isso acontece muito.
Quanta gente infeliz por aí por seguir padrões...

Nenhuma vida é original...
É quase obrigação...

Adorei! Muito bom!

Beijo meu

Fabricante

Viviana disse...

Olá Saulo

Muito interessante o seu poema.

Venho desejar-lhe um lindo dia e deixar-lhe um abraço

viviana

Prof. Israel Lima disse...

Boa Noite!

Parabéns pelo belo espaço.
Sucesso.

Tenha uma semana abençoada!

Até a próxima.

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

A glória da amizade não é a mão estendida,
nem o sorriso carinhoso,
nem mesmo a delícia da companhia.
É a inspiração espiritual que vem quando você
descobre que alguém acredita e confia em você.

(Ralph Waldo Emerson)

Visite meu novo blogger
UMA ILHA PARA AMAR
http://eduardopoisl.blogspot.com/

Um grante abraço do amigo Eduardo Poisl

Mar disse...

Seremos vítimas da sociedade ou de nós mesmos? Seremos vítimas da hipocrisia social ou de nossa covardia? Seremos vítimas do olhar do próximo ou de nosso própri orgulho?

Olhar para o todo, no caso a sociedade, é sempre mais fácil e mais leve do que olhar para nós, afinal de contas, se somos vítimas da sociedade e se somos nós que formamos a sociedade, somos a sociedade e portanto, somos vítimas de nós mesmos: só nos resta encarar isso.

Muito obrigada por esse poema, que me levou a toda essa matemática!rs
Beijos

Lais Dutra. disse...

gostei muito!

huga katia disse...

gostei do poema, alias me vi nele!
um bom fim de tarde pra vc. bj!

' Joseαne Costα* disse...

' Oi Saulo...
Q profundo esse texto^^

bjoo's no ♥

Josy*

Cris Animal disse...

Saulo, enviei um convite para vc permanecer no meu blog, pq o fechei e agora apenas amigos com esse convite conseguem acesso à ele. Gostaria muito mesmo que vc ficasse comigo.
É só aceitar e vc já estará autorizado.
Qualquer dívida, por favor me escreva.
beijos

acsvmf@yahoo.com.br

Ingrid Correia disse...

Texto maravilhoso, parabéns *-*
e muito obg por admirar o que eu mais gosto de fazer *-*

beeijos.. bom dia :*

sua seguidora (L

Belle disse...

Conheço pessoas que tb escolheram as aparências simplesmente pela sociedade, pois dentro delas não havia motivo ou razão para continuar sendo tão infeliz!!!
abraços

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik