quarta-feira, 2 de junho de 2010

Alma Ferida


São seis horas da manhã
E mais uma noite a insônia foi o meu divã
Lamurias de um amor perdido
Ditam as regras para este homem Ferido

O sol nasce lá fora
Aqui dentro meu coração chora
Saudades de um amor que se foi
E que nunca disse se voltava depois

Mas a vida é mesmo assim
Tudo que começa um dia tem fim
Foi muito bom enquanto durou
Sua grande farsa chamada amor

Naquele seu beijo de despedida
Iniciou-se uma grande e dolorosa ferida
Agora a cicatriz não me deixa esquecer
Que minha alma sangra pela falta de você...

Saulo Prado

6 comentários:

Maris Morgenstern disse...

Ahhh,
mas tudo mesmo que começa um dia tem fim...

Sandra Botelho disse...

Quando a dor for infinita
E o sorriso a volta do amor
Cale a dor com um sorriso
mesmo que cale sofrendo de dor...

Lindo poema...
Bjos achocolatados

Júlio Castellain disse...

...
Gostei, também.
Meu abraço.
...

tst oproprio disse...

cidadela existência eh... interessante mas podia ser cortado

Naquele seu beijo de despedida
Iniciou-se grande e dolorosa ferida
Que a cicatriz não deixa esquecer
e minha alma sangra na falta de você...

bona fides
arredonda seu mundo
ou pelo menos triangula-o

tst oproprio disse...

o início era muy bueno

São seis (horas) da manhã
E mais uma noite a insônia foi meu divã

Calí das Mercês disse...

Ei moço... adorei o poema/poesia...
Quem nunca passou por algo parecido?
Acho que suas palavras, com certeza, dizem muito do que eu sinti/sinto...

Muito bom!
Aparece lá no café;;;
www.cafezinhododia.blogspot.com

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik