sábado, 21 de janeiro de 2012

Efêmero


Tão só quanto esta solidão
Eu ouço calado o silêncio da canção
Tão triste quanto o significado da tristeza
Eu aprecio sem ver a sua doce beleza


Tão distante o quanto é a saudade
Eu desejo de ti a felicidade
Tão tocante como é a poesia
Eu sinto você nesta minha fantasia


Tão eterna como a chuva de verão
Foi assim que acabou a sua paixão
Tão  certo como é o final
Eu e você não somos mais um casal...


Saulo Prado

Um comentário:

Pedra do Sertão disse...

Isso é que ainda é estranho: o não ser! Só não se pode viver com a sombra de um passado!

Abraço,


Araceli

www.pedradosertao.blogspot.com

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik