quinta-feira, 26 de maio de 2011

Pretextos


Sobre o vazio de minha alma
Existe a duvida que me acalma
Sou um grão de areia no deserto
E o que era grande ficou esperto

Em toda a minha essência
Existe vestígio de experiência
De vidas que se passaram
E de memórias que em mim ficaram

A algo de tolo nesta situação
De querer encontrar em tudo uma explicação
Se o que é exato não me condiz
Devo seguir esta vida de mero aprendiz...

Saulo Prado

5 comentários:

Ingrid disse...

muito bom Saulo..
morremos aprendendo..
beijo.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Nesta imensidão que nos rodeia somos grãos de areia que vamos vivendo e aprendendo, a cada instante, a cada vivência.
Muito bonito o seu poema.
abraço
oa.s

cristiane disse...

nossa, goste muito do poema. Acho que o grão de areia pode ser fraco só mas se tiver outros para dividir a imensidão com ele a paisagem fica muito mais bonitas,e não se esqueça que as experiências são sempre a forma como estávamos nos sentindo naquele momento a vida é cheia de surpresas podem ser boas ou não, mas a unica pessoa que pode fazer disso uma parte de sua alma é só você...

kirah disse...

segue, e aprende!

bjus da kirah^^

Artes e escritas disse...

Poesia do séc.XXI. Um blog interessante, Yayá.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik