terça-feira, 29 de junho de 2010

Da dor do amor


Eu estou com saudade de sua maldade
Daquele seu beijo frio no fim da tarde
Saudade do seu olhar muitas vezes cínico
Mas que para mim era um doce labirinto

Eu estou querendo sofrer de novo
Só para me lambuzar com o mel de seu corpo
O meu masoquismo é fruto deste amor
E por causa dele eu suporto qualquer dor

Eu estou com vontade de seu puro fel
E transforma meu inferno em um único céu
A minha demência vem desta paixão
Por isso te suplico volta para o meu coração...

Saulo Prado
Aproveito para te convidar para ler a poesia "Filho de Deus" em meu novo Blog:  VITROLA E POESIA

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Alma de poeta


Alma pequena que se engrandece
Em versos que a vida aquece
Alma pequena que grita ao mundo
Os mistérios e amores lá do fundo

Alma pequena que se faz feliz
Sem medo e sem um bem que se quis
Alma pequena que voa longe
E que da solidão nunca se esconde

Alma pequena de um aprendiz
Que faz da poesia seu quadro de giz
Alma pequena que planta a flor
De uma semente chamada amor....


Saulo Prado

terça-feira, 22 de junho de 2010

No balanço do vento...


Irei escrever mil lixos
Mas alguma coisa saíra no capricho
Não me preocupo com métrica
Isso nada me afeta
Eu vou ao acaso dos sentimentos
Por isso escrevo momentos
Momentos meus ou da nação
Tudo que nada tem
Ou que muito tem com o coração
E escrevendo assim
Vou buscando um quase fim
Fim para o que não acaba
Afinal a vida às vezes é uma trapaça
Talvez você ache que estou errado
Mas eu estou disposto a mudar o itinerário
Eu vou de acordo ao vendo
Nunca me entrego ao tormento
De achar que sou o dono da verdade
Pois em mim; o orgulho não me invade....

Saulo Prado

Aproveito para te convidar para ler a poesia "Só por você" em meu novo Blog:  VITROLA E POESIA

sábado, 19 de junho de 2010

Sem magoas...


Seja feliz, no caminho que escolheu
Seja feliz, porque eu vou ser no meu
Seja feliz, com o homem que você quer
Seja feliz, porque eu vou ser com outra mulher

Não a magoas em meu coração
E nem marcas, da dor, da decepção
Não é a primeira vez, que eu sofro por amor
Por isso eu sei, que das cinzas pode nascer flor

Só te peço para não esquecer de mim
Lembre-se que foi bom, antes do fim
E quem sabe um dia, nasça uma amizade
Deste sentimento que para mim, hoje é só saudade...

Saulo Prado

Aproveito para te convidar para ler a poesia "Só por você" em meu novo Blog:  VITROLA E POESIA

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Infidelidade fiel...


Cada noite uma mulher diferente
E em meus braços a solidão inconseqüente
Eu fiz da conquista minha defesa
Agora eu sei que eu sou a maior presa

Meu coração esta fechado
Mas o amor é o meu itinerário
Ataco para não fugir
De sentimentos que trago aqui

E pela noite sigo a procurar
Uma mulher que saiba me amar
Assim deste meu jeito infiel
Quero levá-la comigo do inferno ao céu...


“Minha infidelidade começa onde sua fidelidade termina. No momento que o amor é infiel serei infiel também. O amor; não o corpo”

Saulo Prado


quinta-feira, 17 de junho de 2010

Saia pela porta que entrou...


Se pensou que longe de mim iria ser melhor
Por que agora vem me mendigar dó
Não adianta vim com lagrimas de crocodilo
Hoje eu não quero nem ser seu amigo

Um tapa na cara dói para quem levou
E de minha paciência você abusou
Não adianta dizer que vai me amar
Amar eu amava antes de me abandonar

Mas meu Deus foi bondoso comigo
Fez-me te esquecer e deste amor perigo
Pegue suas malas e volte pela mesma porta
Amor que se vai para mim nunca tem volta....

Saulo Prado

Aproveito para te convidar para conhecer meu novo Blog:  VITROLA E POESIA

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Vai ser melhor assim...




Sei que você vai chorar
Mas eu tenho que te abandonar
Você não merece sofrer por mim
Sou eu que optei pelo fim

Eu fui imprudente com nossa paixão
E acabei ferindo o seu coração
Eu sei que você já me perdoou
Mas eu não sou digno do seu amor

Fui um homem inconseqüente
Deixei-me levar por uma mulher atraente
Mas ela não é como você
Você é muito mais do que só prazer

Por isso decidi que vou embora
Ferir-te de novo é algo que me apavora
Quero muito a sua felicidade
E como castigo escolho um mundo chamado saudade... 

Saulo Prado

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Bares de solidão


Sentado na mesa de um bar
A solidão me chamar para dançar
Afogando-me em um copo de cerveja
Junto comigo se embriaga a tristeza

Por todos os bares eu te procurei
E em cada novo copo eu te amei
Sua ausência é minha companhia
Neste meu mundo chamado boêmia

Pelas noites eu busco por você
E nem a ressaca me faz te esquecer
Mas eu prefiro beber com a saudade
Do que ficar sem você minha felicidade..

Saulo Prado
Aproveito para te convidar para conhecer meu novo Blog:  VITROLA E POESIA

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Porta fechada


Tantas noites eu chorei
Tantos sonhos eu desperdicei
Tudo em nome deste amor
Que se transformou em um vale de dor

Eu fui vitima de sua maldade
Apenas alimento para sua vaidade
Depois do seu ego saciado
De sua vida eu fui cortado

Mas tudo bem a vida da muitas voltas
E hoje é você que bate em minha porta
Eu não vou te devolver o meu coração
Mas leve de volta a sua amarga solidão...

Saulo Prado
Aproveito para te convidar para conhecer meu novo Blog:  VITROLA E POESIA

terça-feira, 8 de junho de 2010

Existir


Desejo tanto te encontrar
Busco em cada rua o seu olhar
Procuro seu perfume em todos os jardins
Seu cheiro é bem melhor do que o de jasmim

Você já faz parte do meu coração
É uma letra a melodia de uma canção
Sua falta é minha maior punição
É a sede que eu sinto de uma paixão

Sou extremamente nada distante de ti
Meu corpo precisa de você bem aqui
Por isso faço desta busca minha jornada
Na certeza de um dia encontrar minha eterna namorada...

Saulo Prado

domingo, 6 de junho de 2010

O amor é cômico...


Eu perdi toda minha inspiração
Não vou mais rimar coração com paixão
Toda minha cafonice se esvaiu
Junto com você meu sentimento sumiu

Sou poeta que não tem amor
Por isso não termino mais o verso com dor
Agora escrevo só sobre o cotidiano
Você não faz mais parte dos meus planos

Eu sei que isto é uma grande besteira
Escrever criticando o que é asneira
Mas esta rima foi feita para explicar
Que a cafonice na verdade, esta no ato de amar....

Saulo Prado

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Alma Ferida


São seis horas da manhã
E mais uma noite a insônia foi o meu divã
Lamurias de um amor perdido
Ditam as regras para este homem Ferido

O sol nasce lá fora
Aqui dentro meu coração chora
Saudades de um amor que se foi
E que nunca disse se voltava depois

Mas a vida é mesmo assim
Tudo que começa um dia tem fim
Foi muito bom enquanto durou
Sua grande farsa chamada amor

Naquele seu beijo de despedida
Iniciou-se uma grande e dolorosa ferida
Agora a cicatriz não me deixa esquecer
Que minha alma sangra pela falta de você...

Saulo Prado

terça-feira, 1 de junho de 2010

Diretrizes


Sem medo de ser feliz
Deixo para trás minhas cicatrizes
Sem medo da solidão
Deixo no comando o meu coração

Sem medo da tristeza
Colho dos versos o sabor da beleza
Sem medo da dor
Quem dita as regras para mim é o amor

Sem medo da saudade
Não cria raízes a minha felicidade
Sem medo do final
Eu sei que o bem sempre vence o mal....

Saulo Prado

Aproveito para te convidar para conhecer meu novo Blog:  VITROLA E POESIA

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik