sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Destino ao acaso


Meu espírito esta nu
Despido de qualquer desejo
Morto, seco, sugado
De saudades de seus beijos

Sinto fome de felicidade
E me alimento de ansiedade
Fui vitima de mim mesmo
Acertando no alvo o meu maior erro

Aquela porta que se fechou
As roupas jogadas no chão
São apenas alguns detalhes
Da nossa amarga separação

Eu sei que não tem volta
Por isto me visto de derrota
Brindando com a solidão
Enquanto o destino tritura meu coração...

Saulo Prado

5 comentários:

Poesias-Franciéle R.Machado disse...

Que poema inspirador e tão bonito! *___*

Separações sempre são tão árduas e algo que fere profundamente o coração, aí está descrito muito bem a cena amarga que é isso.

Gostei muito. Parabéns!

Boa Noite!

Sandra Botelho disse...

Belo poema amigo.
Bjos achocolatados

Rødrigø Vøη łøєviηsŧєiηη disse...

muito bom seu blog.

kirah disse...

é realmente, muitas vezes nós somos nosssos piores inimigos, e então como agir? tentar superar talvez? mas isso não diminue a dor...
fazendo uma visitinha, abraços da kirah

Let's disse...

Lindo e real..boa semana

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik