domingo, 11 de outubro de 2009

Meu erro


Eu fiz do meu amor meu maior veneno
E hoje me sinto um homem pequeno
Não conseguir dominar minhas emoções
E te perdi no descuido de minhas ações

Mais uma vez abraço a solidão
E junto dela as dores do meu coração
Até quando persistirei no erro
De achar que posso me entregar por inteiro

Hoje eu sei que não tenho o direito de amar
Pois estou condenado a sempre esperar
Uma mulher que me aceite como sou
Um homem devoto do amor sem pudor


Saulo Prado
Pu.dor)  [ô] sm.  1  Psi.  Reação emocional pela qual uma pessoa tende a proteger sua intimidade e a sentir vergonha do que possa invadi-la ou comprometê-la; PEJO; RECATO; PUDICÍCIA. [ Antôn.: impudor, despudor.]

11 comentários:

Elaine Barnes disse...

Nossa amigo, que forte!Caraca! Muito bom mesmo! Creio que ninguém está condenado a não amar. Quando a gente se aceita o "outro" também o faz. O problema está na auto aceitação mesmo. Claro que existe uma mulher que poderá entregar seu amor a você.Te amar sem pudor!
Você é bárbaro! bjão

Elaine Barnes disse...

Ah migo, achei que tá triste, fica assim não! A vida dos solitários tem liberdade e paz. Porém tudo tem um preço né?! Fiquei aqui relendo sua poesia e pensei em mim, mais um domingo lindo de sol e eu aqui sozinha, lendo blogs solitária sem sentir solidão. Algo me preenche.Nunca pensei viver sozinha e fui amadurecendo e me conhecendo aos poucos. Sozinha a seis anos, estaria eu condenada a não ter um amor que aceite o meu? Estaria eu condenada a morrer fechada com meu coração? Ah amigo, se eu não abrí-lo ninguém entrará! Depois de duas traições absurdas em dois casamentos, hoje sei que nada perdi, não eram meus e não me amaram,mas, sofri demais e coloquei um nome no meu sofrimento para que não fosse em vão. Tudo passou e hoje sou muito mais feliz e não troco a vida que tenho, por tudo que vivi no passado. Um dia esbarro em alguém na rua e o amor que tenho poderá ter valor pra alguém na mesma sintonia. Isso me preenche, saber que me amo e posso escolher. Quando a gente abre o coração Deus abençoa noso amor.
Ah, sei lá porque falei tudo isso! Te gosto viu! bjão

good product disse...

sad....

ursiηhα disse...

Quanta alma em suas palavras. muito lindo.
Bjs
ursinha

Lídia Borges disse...

Bonito poema!

Por inteiro, em cada momento... Terás de aprender!

"Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és no mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive."
Fernando Pessoa



Um beijo

Jacke disse...

Terrível quando o amor se transforma no nosso próprio veneno. Contamina tudo, aíiiiii... é caso sem soloção.
Abraço

blasphemea disse...

Gostei principlamente da fórmula final, amor sem pudor... Não faço poesia, mas traduziste o que é estar en-AMOR-ado para mim, uma condição em que não há espaço para o pudor.

Obrigada por me seguir!

Sandra Botelho disse...

Logo encontrará um amor maior, que lhe mereça e lhe seja só ternura.
Alem do mais o que é um amor para um coração tão forte?
Afinal amores que envenenam, matam aos poucos e amor tem que ser vida e não morte.Felicidades poeta.

Retalhos de Amor disse...

Amor...
Um longo caminho
Nem sempre sereno!!!

Versos d'alma, Saulo*****

Dia feliz pra ti, viu!!!

Beijo...
No teu coração, Amigo meu!!!
Iza

marcosondani disse...

Olá amigo,
como sempre nos apresentando textos maravilhosos.
Não sei o pq, mas me identifico muito com suas pelavras.
Coincidência ou não, essas palavras refletiram alguns de meus sentimentos e alguns erros deste domingo.

Obrigado por estas palavras, me ajudaram bastante.

boa semana pra ti

' Joseαne Costα* disse...

' Esse post tá perfeiito Saulo, amei^^
Saudades de vc lá no meu blog viu^^
bjoo's no ♥

=]*

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik