terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Fantasy


Quantos são os olhares, que nos aprisionamos?
E quantas são as bocas, que nos entregamos?
A vida é a dádiva de buscar o amor
E nesta busca nos arranhamos nos espinhos da dor

E entre a felicidade e a desilusão
É assim que segue pulsando o nosso coração
Este eterno e louco peregrino
Um homem com esta inocente alma de menino

Ele cultiva em sua essência sentimentos
E muitas vezes só consegue colher ventos
Mas mesmo assim nunca se entrega a solidão
Só que às vezes ele se fantasia com a mentira chamada razão...

Saulo Prado

2 comentários:

Talita disse...

Apaixonante

beijos no coração

Nair Morbeck Sobrinha disse...

Que lindo!Amei!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik