terça-feira, 8 de setembro de 2009

Entre a razão e o coração


Não posso mais mentir para mim mesmo

Tentando me esconder desta paixão

Eu sei que te amar é um grande erro

Mas eu não mando mais em meu coração


Seus olhos têm os meus escritos em seu olhar

E meu corpo transpira a louca vontade de te amar

Pena que nosso amor é um pecado

Pois, ainda sou um homem compromissado


Ah! Se eu não fosse fazer alguém sofrer

Já teria me entregado de corpo e alma a você

Agora tenho que tomar uma grande decisão

Se fico com ela, ou solto as rédeas do meu coração...


Saulo Prado


18 comentários:

cristal de uma mulher disse...

Que dilema.Eu nem sei como é este negocio mais vejo perigoso...abraços

angela disse...

Vai doer de qualquer jeito e como vai...
Muito bom seu poema
beijos

Fernanda de Oliveira disse...

Olá, vim agradecer e retribuir a visitinha que vc fez no meu blog e tb tô te acompanhando tá.

Beijocas e linda semana pra vc!

Retalhos de Amor disse...

Teimoso coração...
Rédea que não domamos
Solta na emoção!!!

O tempo me anda pequeno
Por isto a ausência tanta
Mas a saudade me traz,
Inda que por poucos instantes!!!

Paz e bem, Amigo Saulo!!!
Beijo pra ti...
No coração!!!
Iza

Milene Gonçalves disse...

Muito bom, gostei muito!

Chá das Cinco disse...

Estou te acompanhando,gostei muito daqui, quanto a poesia...complicado heim?
Um abraço
Gemária Sampaio

Sandra Botelho disse...

Esquecer é uma necessidade. A vida é uma lousa, em que o destino, para escrever um novo caso, precisa de apagar o caso escrito.
Machado de Assis.
Belo poema, (sem querer ser repetitiva mas já o sendo, rsrsrs)
Bjo

Carol Mioni disse...

Uma palavrinha só: Maravilhoso!

Rosana disse...

Olá... soltar as rédeas... difícil não,quando se ama é muito difícil, resgatei meu blog... beijos no seu coração!

Chris disse...

Esse eterno dilema...
Obgrigado pela visita ao meu espaço
Um abrço
Chris

Walkyria Suleiman disse...

Gostei do novo visual, te a ver com vc.

Cleo disse...

Te aconselho a soltar as rédeas deste coração. Ver a vida passar e não fazer nada é ruim. o mundo pode ser quadrado, redondo, não importa. quando as arestas deste quadrado se abrandarem, a brisa soprar mais forte, não fique parado no limiar invisível do tempo. viaje no flerte e inaugure a vida novamente.
lindo poema e se for real!!! o que você está esperando????
ai my god! que sufoco.
(quer colocar as cartas com a cigana?)
Beijos com carinho
Cleo

Ariana disse...

Belos versos, inquietantes, reflexivos, REAIS...
Serve para qualquer um de nós. Afinal, todos estamos sujeitos a encontrar um olhar perdido, um perfume que agrade, um sonho alheio ou um toque de pele que nos arrepie, ou não?
Nesses versos está a realidade de alguém que se sente atraído pelo que pode ou não pode ser, pelo que atrai e repulsa ao mesmo tempo.


Lindo o seu blog!
Parabéns!

Sandra disse...

Lindo!
como td que vc escreve, parabéns!

Um Abraço

Silvana Alves disse...

solte as redeas e seja feliz com ela

Jacke disse...

Adorei o poema.
Situação complexa, e põe complexa nisso.
De qualquer maneira como a Ângela ja disse, vai doer e muuuuuiiito! Mas sobrevivemos! É como aquele impasse no fim do maravilhoso filme "AS PONTES DE MADSON".
Beijão

Fátima disse...

Certamente a mágoa maior é não sabermos que estamos com alguém que não está com a gente.
Não coloque rédias em seu coração, deixo-o divagar naturalmente.
Um lindo dia.

Mariana Tatos disse...

E porque não seguir pelo impulso, pena nossa vontade de sentimento...lembre-se são as apaixões que tornam a vida respirável, sem ela seria tudo sem gosto e sem doce...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik