sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Culpado




Me deu vontade de falar
Tudo o que os meu olhos já te disse
Não se importe se eu chorar
É que não perdoo os meus deslizes

Você não tem culpa de me amar
E se a este amor eu não dei valor
Chegou à hora; e eu vou pagar
Por todas as vezes que você chorou

Eu sei que em meu peito ira sangrar
Todo o mal que um dia eu te fiz
Mas eu juro; custe o que me custar
Eu  vou  viver para  te  fazer  feliz...

Seu ciúme



Noite e dia você briga
Não acredita em meu amor
Você jura que me ama
Mas me causa tanta dor

Eu não sei o que fazer
Para te provar o quanto te amo
Tô cansado de sofrer
E viver destes seus enganos

Se for para ser assim
Pode ir embora nesta hora
Eu nunca quis o fim
Mas opto por ele agora...

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

O Indesejável que desejei...




Projeção de um amor que não tive
Em uma paixão que sobrou só deslize
Mentiras que cultivaram o amor
Que se secou com o frio calor da dor

Invenções de um sentimento infantil
A inocência em sua forma mais pueril
Sedes saciadas na saliva de sua boca
Quando tirávamos a nossa roupa

O eterno que não durou para sempre
Mas teve algo que ficou neste seu ventre
O fruto de um amor que não sobreviveu
É agora a doce prisão que encarcerou você e eu... 

Minha contradição




Eu menti todo tempo para vocês
Do amor eu não sou freguês
Neste caso sou eu o vilão
Que brincou com outro coração

Mas mesmo assim não foi minha culpa
É que o vicio de amar às vezes se oculta
E fica escondido nestas palavras vazias
Em versos que são mais que fantasias

Mas todas as minhas mentiras foram sinceras
Somente a verdade que não era
Pois, já que dizem que o poeta é um fingidor
Nestes versos eu finjo que não dependo do amor... 

O passado ficou





Lágrimas que regam meu sonho
Resquício de um pesadelo medonho
O amor brotou novamente em mim
Provando que a recomeço depois do fim

Ela chegou com seus olhos meigos
E me mostrou que no amor eu sou leigo
E com carinho me despertou a paixão
Usando caricias, ternura e sedução

Hoje é ela que tem medo de me perder
Pois menospreza o tamanho do meu querer
Ela se confunde com a imensidão do meu  amor
Por não entender que sou escravo do medo da dor... 

domingo, 4 de janeiro de 2015

Nova letra






Desejo uma nova poesia

Que preencha minha vida vazia

Quero algo bem maior

O sonho de quem conquista com suor



Eu não quero apenas uma fantasia

Quero a realidade pintada com magia

Um poema que exprima todo meu desejo

Quero a sede saciada no gosto de um beijo



O amor da mulher que tenho

Quero  sentir vontade no que desdenho

E assim quando eu escrever estes novos versos

Irei entender os meus sentimentos, às vezes sem nexos....  

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik