terça-feira, 4 de março de 2014

Filho prodigo





Estou de volta ao “Meu Mundo Quadrado”

Deixo  de  lado  este nosso  mundo limitado

Quero  de  volta  a  liberdade  das  palavras

E nas rimas e versos reconstruir a minha estrada



Sou poeta que não sabe se tem espiração

Faço versos de verdades do meu coração

Aqui  me  liberto de toda esta ansiedade

Que é viver os traumas de uma sociedade



Por  algum  tempo;  daqui  vivi distante

Como um homem que abandonou a amante

Mas hoje eu sei que a felicidade depende da paixão

Por isso eu volto a escrever em meu  mundo  de  ilusão...



Um comentário:

Pedra do Sertão disse...

Poema perfeito para a quarta-feira de cinzas que se aproxima!

Abraço,

Araceli

Venha nos visitar também:

www.pedradosertao.blogspot.com.br

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik