domingo, 31 de março de 2013

Divergente

aço do destino minha ficção
Poesia não rima com a razão
Sou boca sedenta de beijo
O fogo aceso do desejo

Quero da vida uma aventura
Alguém que direcione minha conduta
Sou peregrino no caminho da paixão
O poeta que baila com a sua ilusão

E assim sou submisso ao amor
Destilo em versos o sabor da dor
Sou frase que não tem ponto final
O coração que sangra; por não ser de metal...

 

quarta-feira, 20 de março de 2013

Fugaz

Mentiras que menti para mim
O começo que começou pelo fim
Mais uma vez fui vítima da ilusão
Não era amor; e sim fogo de palha da paixão

Eu sei que sentimos algo especial
Mas foi só mais um amor de carnaval
Por algum tempo saciamos a nossa solidão
 

Mas acabou a nossa pequena conexão

Agora vá procurar outra pessoa
Ficar só por ficar muitas vezes mágoa
E eu não quero ser motivo para sua tristeza
Por isso te destilo o veneno; desta minha franqueza...
 

domingo, 17 de março de 2013

Feridas...

Dói em mim
Sentimentos que não consigo colocar um fim
Às vezes sou chicoteado pela saudade
De um amor que destilou em mim sua maldade


E assim vou chorando nas minhas escritas
Revelando ao mundo as minhas feridas
Como se fosse possível amenizar esta dor
De amar quem nunca me amou


Mas nem tudo é ressentimento
Ela teve um bom argumento
Por isso só me resta aceitar esta solidão
E viver com ela; somente no meu coração...

 
Saulo Prado

sábado, 16 de março de 2013

Delírio



Tenho medo de tentar outra vez
E me perder na possibilidade de um talvez
Eu sei que entre nós só existe o passado
Regado por sentimentos que ficaram abafados

Mas nem tudo no tempo se perdeu
Ainda existe uma amizade entre você e eu
E por mais que você tente não acreditar
Eu luto a batalha de tentar te reconquistar

Eu sei que dificilmente existe a possibilidade de um futuro
Mas eu preciso de um beijo seu para me sentir seguro
Eu quero me perder nesta louca irresponsabilidade
E junto ao seu corpo sufocar esta nossa saudade...

 

Na brasa da paixão




Nesta tentativa de tentar me decifrar
Eu sigo tentando conjugar o verbo amar
Em poesias que trazem pedaços inteiros de mim
Os versos vão se costurando sem chegar a nenhum fim

E como um Dom Quixote lutando contra seus moinhos de ventos
Eu sigo a louca batalha contra os meus sentimentos
Medo, carência, solidão, desejo e amor;
São os ingredientes deste meu teatro sem ator

Mas nem tudo neste meu mundo é ficção
Ouça os gritos em sussurros do meu coração
Que você ira perceber que aqui existe um homem
Que assim como o fogo queima a lenha; a paixão o consome...

Por/Saulo Prado

domingo, 10 de março de 2013

Ser Feliz é ser

Hoje eu decidi! Estou desistindo de desistir
A vida é uma dadiva; para quem tem coragem de persistir
E eu sei; que às vezes os problemas parecem grandes
Mas isto faz parte deste nosso insólito mundo de gigantes

Amanhã e sempre eu irei tentar mais uma vez
Acreditar que não seria possível; seria a maior estupidez
Para mim não me importa a onde esteja o meu destino
Eu o construo. Com esta minha paciência de peregrino

E assim; eu vou cantando desafinado, no coro dos contentes
Sem me importar; com os loucos que pensam que sou inocente
Pois eu sei. A felicidade é um estado de espirito
E é assim que eu danço a valsa; com todos os meus conflitos....


 

sexta-feira, 8 de março de 2013

Titã em minha pequenez



Tanto de mim em poucas letras
Os sentimentos não aceitam as regras
Por isso sempre escrevo sem nenhum pudor
As minhas loucas aventuras no jogo do amor

Tanto de mim em tão poucos versos
A poesia germina em meus destroços
Por isso eu a uso como meu louco divã
 

Nesta minha escalada de pequeno titã

Tanto de mim em pouca prosa
Sou eu; revelado de forma perigosa
E sem me preocupar com a plateia e o seu estrídulo
Eu curto minha liberdade sem ter medo do ridículo...


 

domingo, 3 de março de 2013

Indiretamente


Devaneios escritos por minhas mãos
Amor, raiva, desejo, e o fogo da paixão
Letras surgem na tela como se fossem sentimentos
E assim vou fotografando meus pequenos momentos

Domingo à tarde na frente do computador
Escrevendo minhas verdades com a mentira do amor
Depois de ontem, o amanhã será um talvez
Sexo sem paixão é a maior estupidez

Mentiras sinceras de um pseudopoeta
Espero que se perca nesta minha indireta
Não; poder ter certeza, eu não brinco com o seu coração
Só estou dizendo que eu e você; transamos com a ilusão...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik