sábado, 27 de outubro de 2012

Versos da saudade

No escuro desta noite
sem seu colo a solidão é açoite
junto do sono que não chega
a felicidade foi só passageira

Sinto falta do seu corpo
inundando a minha cama
esta é a saudade,
de um homem quando ama

Quero dormir, mas não consigo
a tristeza é meu abrigo
e assim mais uma vez, choro por ti
o grande amor da minha vida,
que um dia deixei parti....

  Saulo Prado

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Separação





Caminhos indistintos aos meus
Sonhos que nunca foram seus
Beijos calados de sentimentos
Apenas retratos, retratam os bons momentos

Uma vida a dois que não existe mais
A esperança perdida em um só cais
Filhos que ditam esta relação
Um casal divido pela solidão

E assim  se precipita o fim
Do que um dia foi eterno pra mim
Mas por mais que hoje o que grita é a dor
Eu ainda ouço os sussurros do nosso amor...

Displicência



Uma poesia perdida
Na estrada louca da vida
Um amor que não entendo
Que se faz de tão pequeno

Sentimentos que machucam
Em altos relevos de palavras
Coisas que muitas vezes foram ditas
Pela falta de não dizer nada

Um sonho que quase acabou
Pela displicência do amor
Mais uma vez tenho que pedir desculpa
Por uma coisa que nunca tive culpa...


Saulo Prado

sábado, 13 de outubro de 2012

Sozinho no cais




Outra vez dou um beijo de língua na solidão
Voltou a bater sozinho este meu coração
Mais uma vez você saiu da minha vida
Até parece que me acostumei com sua despedida

Outra vez irei namorar a saudade
De um tempo distante que vivemos felicidade
Esta provado que entre nós não da mais
Por isso desta vez não te esperarei de volta ao cais

Outra vez eu vou desejar que você seja feliz
Só que agora irei à busca de outro bem que se quis
Não posso mais viver preso neste amor
Que se transformou em um jardim de onde só se colhe dor...

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Sem sentido ainda há sentido




Sozinho caminho este meu destino
Vou triste com um sorriso cinza de menino
Calado; digo tudo com um só olhar
Eu persisto neste meu vicio de sonhar

Agarro-me em uma pequena esperança
Aquela minha profecia de quando ainda era criança
“Tudo que eu quiser eu vou tentar melhor do que já fiz”
E assim eu vou seguindo este meu trajeto de aprendiz

Não sei até quando ainda vou acreditar
Mas a esperança é tudo que não me deixa parar
Mas mesmo que em mim, só exista resquício da tristeza
É caminhando que amasso o barro de minha utópica fortaleza...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik