domingo, 28 de fevereiro de 2010

Devaneios




















Eu não sou ilusão
apenas estou na contra mão
eu não sou mentira
apenas vesti a covardia
eu não sou vontade
apenas a repulsa da felicidade
eu não sou o pecado
apenas me mostrei pelado
eu não sou o capitulo
apenas o final do livro
eu não sou seu freguês
apenas não é a sua vez
eu não sou o poema
apenas seu esquema
eu não sou o amor
apenas decifrei o seu sabor
eu não sou a canção
apenas o fracasso do coração...

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Ame


Ame-me como sou
Um rascunho amassado do amor
Ame-me por inteiro
E deixe a sobra para o enterro

Suplico-te amor eterno
E juntos transcenderemos o que é belo
Em sua boca encontro vida
Já a morte, em sua despedida

Ame-me apenas hoje
E decrete a minha franqueza.
- Minha gota de felicidade!
Se não me amar amanhã
me condena a viver na saudade...

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Adiáfano


A dor da partida se dilacera
na hora da despedia
Com o coração na mão
quem fica, chora, o fim da relação

O cheiro do adeus
espalha-se pelo ar
E a ingratidão reflete
quem não soube amar

Nada mais resta para quem ficou
a não ser o gosto cítrico do desamor
E é assim!
O fim de uma paixão
onde o amor esteve presente, em um só coração...

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Enganos

 

O mal em pele de cordeiro
E o amor se transforma em desespero
Doce foi à ilusão
Que eu poderia ser dono do seu coração

Virtual foi aquele sonho
O qual hoje sei, que foi engano
Meu amor não foi mentira
Foi você que criou a fantasia

Um príncipe em um cavalo branco
E não um sapo por traz de seu pranto
Mas agora eu sei que esta feliz
Enquanto eu contabilizo mais uma cicatriz...



terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Mistérios da meia noite


Um Amor proibido
O lobo se esconde no abrigo
A lua que encanta
O transforma no mostro que espanta

O sol trás a liberdade
E em seus olhos se esconde a verdade
O monstro e o amor
Historia que muitas vezes já se contou

Ela o ama sem saber
O seu louco mistério de viver
E o sangue é a prisão
Que alimenta o medo, do lobo comer a paixão...

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Velhos caminhos novos


Vou continuar meu caminho
Seguindo meu sonho sozinho
Quero a doce fome da verdade
E fazer do sorriso minha liberdade

Sou filho de algo maior
E não me contento, com o que é menor
Cada passo meu segue uma emoção
Sempre comandado por meu coração

E nesta minha trilha de aprendiz
Uso como mapa, minhas cicatrizes
Eu não sigo o caminho da multidão
Pois sei que a felicidade, segue outra direção...

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Marcas do que ficou


Escrever coisas que não foram feitas para dizer
Em uma vida toda dedicada a você
Nosso amor foi bom, enquanto não havia magoas
Mas nem tudo um simples beijo, com seu sabor apaga

Uma vida a dois tem que ter mais que coração
E junto do desejo deve sempre baila a razão
Em nossa relação eu fui o louco viciado
E você foi o vicio, que sempre ficou mais caro

Agora chegou a triste hora do adeus
Pode ir embora! E levar os sonhos que eram, só meus
Nada do que foi escrito será apagado
E só o tempo nos mostrará, qual de nós dois foi o grande culpado...

Saulo Prado

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Evasivo


Eu tenho duvida de todos os meus erros
E também de todos meus acertos
Uma angustia morde meu coração
E me bate uma vontade de chorar

Às vezes pergunto a Deus:
Porque me perco tanto?
Acredito que não tenho direito de perguntar!
Todo novo dia, escolho um velho caminho
Acreditando nesta minha filosofia feliz

Os sonhos e as fantasias insistem em me rondar.
Tentando me despertar para a vida!
E eu vivo a me queimar, neste meu desejo insano
de me transformar em criança.
Em busca de um novo brinquedo para quebrar...

Saulo Prado

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Débito com a vida


A muitas coisas sobre mim
Que não me atrevo a contar aqui
Aqui em meu mundo quadrado
Onde a escrita é meu doce diário

Sentimentos guardados em meu coração
Que aqui neste meu mundo vira devoção
Versos da vida de um homem
Que em suas poesias, muitas vezes se esconde

Antes tudo era tão diferente
Minha vida era vivida intensamente
Mas agora; tudo não passa de uma ilusão
E é só nesta tela, que eu vivo uma grande paixão

Saulo Prado

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Declaração de amor

 


Quanto mais escrevo sobre solidão
Mais a saudade grita em meu coração
A sua ausência é meu vicio
E escrever sobre isso, virou capricho

Em minha mente, não se cansa de brotar
Versos; regando a minha angustia de te amar
Sou totalmente dependente deste amor
E com a poesia, alivio um pouco, a minha dor

E mais uma vez relato aqui o meu sofrer
A dor e o medo, de quem não sabe te esquecer
Rimando as tristes dores do meu coração
Deixo aqui escrito meu choro, em forma de declaração...

Saulo Prado

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik