terça-feira, 29 de setembro de 2009

Amores de papel




Sonhos, planos e fantasia, o mundo é assim
Um mix Entre realidade e utopia
Existem tantos sonhos de amor
E também tantas pessoas que nunca sonhou


Vivem para uma vida sem sentido
Onde sonhos de amor são doloridos
E vegetam numa rotina ofegante
Fazendo da vida uma amante


Sem poder atirar a primeira pedra
Procuro fazer da vida minha primavera
Onde vivo sonhado em meus escritos
Os meus sonhos de amores proibidos...


Saulo Prado

sábado, 26 de setembro de 2009

On-line

Um sentimento que se esconde 
Que tritura a alma de um homem
Um desejo pouco singular
Que inventa uma nova forma de amar

O amor não encontra barreiras
E continua destruindo as fronteiras
Algo que se dizia virtual
Hoje é um sentimento mais que real

A distancia é estraçalhada, pela tecnologia
E o amor cria asas, na forma de uma intensa fantasia
Transformado uma simples maquina fria
No caminho mais próximo, para uma nova forma de poesia...


Saulo Prado

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Desajuste


Quero encontrar uma maneira de expressar
Meu louco desejo de ser eternamente feliz
Dizer que ainda acredito em milagres
Sem que para isso, seja necessário atravessar os mares

Quero me inundar em uma gota de orvalho
E fazer do carrossel da vida meu único itinerário
Chutar cachorro morto sem me sentir culpado
E beijar na boca sem olhar para o lado

E em minha grande busca pelo aprendizado
Aceitar minha loucura de desejar o indesejável
E cuspir na cara de quem tente me enganar com o contrario
Provando que a maldade esta no coração
de quem não tem pecado...
Saulo Prado

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Nossa mordida

Eu fui seu cúmplice no pecado

E me deixei queimar ao seu lado

Neste desejo quase ofegante

De marido passei a ser amante


Soltei as rédeas da razão

Dei voz aos gritos do meu coração

Segui contigo o caminho do perigo

E nosso pecado se fez amigo


Mordemos juntos, esta maçã

Agora o que queremos, é só uma manhã

Em que o sol nasça para nos dois

Deixando os nossos traumas para depois...

Saulo Prado


domingo, 20 de setembro de 2009

Eu

Gosto de todas as palavras cruas

E também de algumas mulheres nuas

Não gosto nada; de meios termos

Por se um homem que se entrega por inteiro


Do pecado já sou grande freguês

Por isto nunca tenho medo de pecar outra vez

Nos amores aprendi com as decepções

Mas em todos os casos, destilei minhas emoções


Não espero da vida o que não posso plantar

Mas busco! Tudo aquilo que posso alcançar

Sou um homem feliz, por que aceito errar

E sendo aprendiz, sempre estou disposto a recomeçar...


Saulo Prado

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Perversa verdade

Procuro palavras, para te falar

Deste amor, que não consigo amar

Há vários anos, que contigo eu casei

Mas confesso; que nunca te amei


Em minha farsa, hoje eu quero por um fim

E entregar para você, um pouquinho de mim

Não posso mais, viver esta ilusão

Que você insiste em dizer, que é nossa união


Eu sei que para você, a rotina é o bastante

Por isto sempre fechou os olhos, para minhas amantes

Mas neste momento minha consciência gritou

Por isto desisto. Dessa nossa mentira; chamada amor...


Saulo Prado

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Tão perto e tão distante


Eu não posso revelar o meu segredo

Por isto estou assim inseguro, com medo

Sem poder falar deste amor, que esta me consumindo

Sigo a vida, fingido ser apenas seu amigo


Quantas noites tive vontade de te amar

De tela em meus braços e com beijo te acordar

Meu motivo não é apenas covardia,

Esta muito além de uma simples ousadia


Você é uma mulher casada

E eu não tenho o direito, de te cobrar nada

Por isso sou obrigado a fica calado.

E machucar meu coração,

imaginado outro homem ao seu lado....


Saulo Prado


terça-feira, 15 de setembro de 2009

Chumbo trocado

Estou triste quase chorando

Magoado com a vida que ando levando

Eu que já fui um pseudoconquistador

Agora choro, por falta de amor


Um dia me disseram que o mundo ia girar

E eu na minha arrogância, zombei, e a mandei calar

Agora sou apenas um leão ferido

Um rato em busca de um abrigo


Hoje tenho coragem de assumir o meu erro

Achar que as mulheres, eram apenas mais um de meus brinquedos

Agora! Só me resta deixá-las me pisar

E receber com a mesma moeda,

a conta que elas têm, para me pagar...


Saulo Prado

sábado, 12 de setembro de 2009

Ao som da Solidão

Procuro no silêncio uma explicação

Para esta angustia que sinto em meu coração

Já é tarde da noite e não consigo dormir

O barulho da solidão insiste em me agredir


Caminho pela casa e começo a chora

Lembrando dos amores que ainda não pude amar

Ligo a televisão e não consigo assistir

Resta-me a sensação da distancia de existir


Uma companheira que eu possa dividir

Historia de uma vida, e outra construir

Ajoelho-me ao chão e falo com Deus

Pedindo uma paixão sem previsão de adeus...


Saulo Prado




sexta-feira, 11 de setembro de 2009

La búsqueda de un gran amor



Nesse exato momento sinto falta de você

Dona de meus sentimentos, sonho que ainda quero ter

Eu sei que você também, vive à espera de mim

Para juntos darmos inicio, ao nosso amor sem fim


Te procuro em todos os lugares! Sei que irei te reconhecer;

Em um trocar de olhares, decifrarei você

Doce menina inocente, dona desta minha paixão

Uma utopia romântica, que conduz o meu coração


A onde você estiver, saiba que eu estou aqui

Acreditando neste amor, feito para nos unir

Escrevo estes versos com lagrimas, só para você ler

E saber que ainda existe um homem,

que vive a espera de você...

Saulo Prado



quinta-feira, 10 de setembro de 2009


Deletei tudo de bom em mim

Vesti a carapuça que não me servia

E me entreguei à sua revelia

Tudo em nome de um sujo desejo


Por achar que você iria se importar

Com este homem disposto a rastejar

Mendigando este seu louco amor

Na carência insana de te amar


Hoje quando olho para traz

Sinto vergonha de mim

Por ter me submetido a você

Dona deste sádico vicio

Meu pecado, do inicio ao fim...

Saulo Prado


terça-feira, 8 de setembro de 2009

Entre a razão e o coração


Não posso mais mentir para mim mesmo

Tentando me esconder desta paixão

Eu sei que te amar é um grande erro

Mas eu não mando mais em meu coração


Seus olhos têm os meus escritos em seu olhar

E meu corpo transpira a louca vontade de te amar

Pena que nosso amor é um pecado

Pois, ainda sou um homem compromissado


Ah! Se eu não fosse fazer alguém sofrer

Já teria me entregado de corpo e alma a você

Agora tenho que tomar uma grande decisão

Se fico com ela, ou solto as rédeas do meu coração...


Saulo Prado


segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Romance a moda antiga

Às vezes minha ingenuidade me incomoda

Eu sei que sou um homem fora de moda

Ainda gosto de serenata,

De passear de mãos dadas na praça

De mandar flores em dia de domingo,

De te-la no colo abraçada comigo


Agora as coisas estão diferentes

E o flerte não é como antigamente

Hoje se vai direto ao ponto; um beijo e depois o motel

Ninguém mais namora a noite olhando para o céu


O romantismo se aposentou,

E deu lugar a sedução sem amor

Não quero levantar bandeira,

E ir contra o amor sem fronteira

Só quero uma mulher que me aceite assim

Um homem que gosta de musica, poema e cetim...


Saulo Prado

É ficção; ou não?


sábado, 5 de setembro de 2009

Um pingo é letra


Você fez o que não podia, avançou o sinal

O que estava apenas começando

Você transformou em amor fatal


Nada acontece da noite para o dia

É necessário o tempo moldar

E você destruiu, antes mesmo de começar


Agora! Assumo o papel de vilão

O que você achava ser amor, era apenas intenção

E você não tem mais lugar, em meu coração...



Saulo Prado


quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Respondendo o que você me perguntou...

Neste instante, falo de um sentimento que não posso te dar

Pois, o meu coração tem medo de se apaixonar

Já me perdi varias vezes, por causa do amor

E hoje estou vacinado, contra esta dor


Não quero enganar você

Por isto, estou sendo verdadeiro

Não estou pronto, para me entregar por inteiro

Receba meu adeus em forma de um beijo


Mas não se esqueça! Que na vida, sempre a um recomeço

Hoje sou eu que digo não,

Amanha pode ser você; que não queira esta paixão

Mais este é um risco que eu vou ter, que correr
Você é muito especial para eu te fazer sofrer...


Saulo Prado



terça-feira, 1 de setembro de 2009

Rompendo o Casulo (Breaking the Cocoon)


Do passado eu quero apenas o presente

Uma colheita justa para o que semeei

Descobri em mim o menino! Que a tempo assustei.

E agora quero brincar, com os lixos, que eu mesmo criei


Um novo caminho irei percorrer

Sem traumas e medos, de coisas que não consigo resolver

Irei deixar de lado, algumas de minhas obrigações

Para ouvir melhor, as ordens de minhas emoções


Serei a essência dos sentimentos

Pois, cansei de ir a favor do vento

Selvas e mares irei percorrer

Ensinando! Que o bom da vida é viver...

Saulo Prado

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik