domingo, 30 de novembro de 2008

Presa fácil


Nestes dias que você não se entende,
é por que esta descobrindo algo novo de você
é quando as nuvens estão deixando de ser de algodão
e as borboletas estão voltando a serem lagartas.

Mas a algo neste dia que o torna especial
e eu acho que é você,
perdida tentando se encontra,
carente;

Mulher aprendendo a se virar sozinha,
fera pronta para a primeira caçada
e neste dia por mais incrível que pareça eu quero
ser a sua presa...



Saulo Prado

Caras como eu






Caras como eu
Estão ficando raros
Como cabelos ralos
Que se partem e caem pelo chão
Caras como eu
Estão tirando o pé
Andando em marcha-ré
Com o medo de entrar na contra mão
Como trens do interior
Que não chegam no horário
Como velhos elefantes
Que morrem solitários
Caras como eu
Estão ficando chatos
Como solas de sapatos
Que se gastam com o passar do tempo
Não vou mais medir o tempo
Não vou mais contar as horas
Vou me entregar ao momento
Não vou mais tentar matar o tempo
Como palavras de amor
Que não se guardam em disquetes
Como segredos sem valor
Que agente nunca esquece
Caras como eu
Estão ficando velhos
Calçando seus chinelos
Tony Bellotto

Um brinde a Vida

Tem algo que quero dizer
algo que mereça ser dito
algo que te faça sorrir
ou quem sabe chorar
algo que não consigo expressar

Esta dentro de mim
é forte, grande e feliz
e tem a fé que move montanhas
e a coragem dos irresponsáveis

O que é irresponsabilidade?
Para mim irresponsável
é quem não acredita na vida
quem não se emociona com ela
quem não a brinda

É Fácil brindar
quando se julga feliz
Não! Eu não me sentirei culpado
e continuarei propondo o brinde
Quem sabe assim
Um dia eu faça alguém feliz...


Saulo Prado




quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Meu manual

Bentinho, sinônimo de ciúme
Capitu
, a volúpia em forma de frágil menina
A um Bentinho, preso a mim
que desenha você em formato Capitu

A
se Dom Casmurro,

bastasse só como livro de Machado
Não teria feito de Bentinho o meu calvário
A se Capitu fosse só os delírios de Bentinho
não teria em você Capitu decifrado

Minha Rosa Capitu, meu tormento amado
sou seu Bentinho, padre em pecado
fazendo
de um livro

Meu manual de usuário...

Saulo Prado

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Mariposa







Eu sou que nem a mariposa,
que se apaixonou por uma estrela,
agora não se contenta mais
com as
luzes de um poste ou de uma lâmpada qualquer,

E por mais que a mariposa
saiba que será impossível alcançar sua estrela,
todo noite voa em sua
direção
para mostrar que o amor é mais forte que a paixão...


Saulo Prado

domingo, 23 de novembro de 2008

TAO (CAMINHO)













SIGO O MEU CAMINHO,
SEM A CERTEZA QUE TENHO

MAIS COM A CORAGEM DA FÉ
SIGO FELIZ,
NO CORO DOS
contentes

SEM SER
hipócrita
COMIGO MESMO

DESAFIANDO A TRISTEZA,
ME MANTENDO FELIZ

SEM MEDO
SEM DOR
SEM PRESSA
SIGO O MEU CAMINHO,

LEVANDO COMIGO,
QUEM QUEIRA ME SEGUIR

MAIS OS LEVO

SEM PROMESSA

SEM PRESSA
SEM NEXO
SIMPLESMENTE COM FÉ...

SAULO PRADO

sábado, 22 de novembro de 2008

3ª do Plural

Corrida pra vender cigarro
Cigarro pra vender remédio
Remédio pra curar a tosse
Tossir, cuspir, jogar pra fora
Corrida pra vender os carros
Pneu, cerveja e gasolina
Cabeça pra usar boné
E professar a fé de quem patrocina

Eles querem te vender, eles querem te comprar
Querem te matar (a sede)...eles querem te sedar
?quem são eles?
?quem eles pensam que são?

Corrida contra o relógio
Silicone contra a gravidade
Dedo no gatilho, velocidade
Quem mente antes diz a verdade
Satisfação garantida
Obsolescência programada
Eles ganham a corrida antes mesmo da largada

Eles querem te vender, eles querem te comprar
Querem te matar (de rir), querem te fazer chorar
?quem são eles?
?quem eles pensam que são?

Vender...comprar...vedar os olhos
Jogar a rede...contra a parede
Querem te deixar com sede
Não querem te deixar pensar
?quem são eles?
?quem eles pensam que são?

HUMBERTO GESSINGER

3x4



Diga a verdade
Ao menos uma vez na vida
Você se apaixonou
Pelos meus erros...

Não fique pela metade
Vá em frente, minha amiga
Destrua a razão
Desse beco sem saída...

Diga a verdade
Ponha o dedo na ferida
Você se apaixonou
Pelos meus erros...

E eu perdi as chaves
Mas que cabeça a minha
Agora vai ter que ser
Para toda a vida...

Somos o que há de melhor!
Somos o que dá pra fazer...

O que não dá pra evitar
E não se pode escolher...

Se eu tivesse a força
Que você pensa
Que eu tenho,
Eu gravaria no metal
Da minha pele
O teu desenho...

Feitos um pro outro
Feitos pra durar!
Uma luz que não produz
Sombra!
Somos o que há de melhor!
Somos o que dá prá fazer...

O que não dá pra evitar
E não se pode esconder...
Humberto Gessinger

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Idem

Ao lado dos sonhos dormem calado os pesadelos;

dentro do peito morde uma rouca esperança
a alma flutua em busca de algo para anestesiar
a doença que sinto, este jeito louco de te segurar

Perto de mim me deparo com a distancia
no seu beijo não encontro o meu sabor;
E na solidão? A sua sombra me ofusca
A noite procuro te ninar
com meu ronco forte a te desperta,

São caos desta paixão
que faz de mim um homem em reconstrução
eu amo o seu jeito de me odiar
e detesto o meu jeito de te amar...

Saulo Prado

Nasce um país


Enquanto ela cresce, a vida começa a se forma, e do milagre da gestação, nasce um novo coração! Do ventre vem o sonho, de um futuro bom; do exemplo o carater e a moral, e assim o filho ou a filha nasce, para este mundo que as vezes é cruel, mas para quem crê em Deus, é só uma colheita e o fruto dependera do que a gente plantar. Tenha certeza que o futuro será bom pois assim você fará um presente digno do seu filho..

saulo prado

domingo, 16 de novembro de 2008

Fatos

Falta o que me fartei
Sobra o que esnobei

Do passo surge o caminho
na curva me perdi

E te encontro em minhas ações
escrevo verso para justificar as paixões...





mitologia


ORFEU, TE TENTO ENCONTRAR
DENTRO DE MIM
RESSOAR, OS ACORDES DO SEU VIOLÃO
E DANÇAR COM EURIDICE
EM MEU CORAÇÃO...
Saulo Prado

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Seu elemento

Sou fogo ao te queimar
Sou agua ao te apagar
o cinco dos elemento
e te condeno
a me condensar

No liquido te bebo
uso seu ferro para me marca
sua madeira para te esculpir
enquanto em sua terra
eu me plantar
no modo cinco
de te amar...

Sou meu fruto


Hoje me vejo, árvore que semeei
E o pior
é que não gosto do fruto
Preso a um amor
me sinto só

Quero uma nova colheita
mordê no fruto proibido
sem sofrer de novo o castigo
E não mais te deixar só...

Saulo Prado




LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Me leve com você...

Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

ME ENCONTRE TAMBÉM NO TWITTER! Basta um clik